domingo, 9 de outubro de 2011

Para entender o NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

Seguem algumas dicas sobre o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa:

O ALFABETO

Antes:
O alfabeto português constava de 23 letras, a saber: a, b, c , d, e , f, g , h, i , j , l , m , n , o , p, q, r , s, t, u , v , x, z.
As letras K, W e Y eram usadas apenas em casos especiais, pois não faziam parte oficialmente do abecedário vernáculo. Eram utilizadas, por exemplo, em abreviaturas e símbolos, tais como: K = potássio, kg = quilograma, Kcal = grande-caloria, km = quilômetro, W.C. = water closet, yd (yard) = jarda etc.; em palavras estrangeiras que não haviam sido aportuguesadas: balck-out, know-how, kaiser etc.; em nomes próprios estrangeiros e seus derivados: Kafka, kafkiano, Darwin, darwinismo, Byron, byroniano, Shakespeare, shakespeareano, Wesley, wesleyanismo etc.

Agora:O alfabeto português conta de 26 letras, a saber:
a, b, c , d, e , f, g , h, i , j , k, l , m , n , o , p, q, r , s t, u , v , w, x, y, z.
As letras K, W e Y foram reintroduzidas, sendo agora, pelo Novo Acordo Ortográfico, parte oficial do nosso alfabeto.

---
TREMA

Antes:
Se o u dos grupos gu e qu fosse pronunciado e, se depois dele aparecesse as letras e e i, então o trema (¨) seria obrigatório. Por exemplo: agüentar, argüir, conseqüência, eloqüência, lingüiça, lingüístico, pingüim, sangüinário, seqüestro, ungüento etc.
Agora:
Os grupos gue, gui; que, qui não mais necessitam de trema. Portanto, grafa-se: : aguentar, arguir, consequência, eloquência, linguiça, linguístico, pinguim, sanguinário, sequestro, unguento etc. (Todos sem o sinalzinho ¨ ).

Atenção!
Em palavras estrangeiras, cuja grafia original comporta o trema, ele ainda continua sendo usado. Por exemplo: Jürgen, Müller, mülleriano etc.

---
ACENTUAÇÃO

Antes:
Os ditongos ÉI, ÉU e ÓI exigiam obrigatoriamente o acento agudo. Por exemplo: alcatéia, andróide, bóia, boléia, colméia, estréia, européia, geléia, idéia, jibóia, jóia, odisséia, platéia etc.

Agora:
O acento agudo nos ditongos não se faz mais necessário. Portanto, grafa-se corretamente: alcateia, androide, boia, boleia, colmeia, estreia, europeia, geleia, ideia, jiboia, joia, odisseia, plateia etc. (Todas sem o acento agudo).

Atenção!
Permanecem acentuadas as palavras oxítonas terminadas em ÉIS, ÉU, ÉUS, ÓI, ÓIS. Por exemplo: papéis, troféus, chapéu, herói etc.

Antes
:As vogais tônicas i e u das paroxítonas eram obrigatoriamente acentuadas, tais como: baiúca, Bocaiúva, feiúra etc.

Agora:
Não mais é necessário o acento agudo dessas vogais. Portanto, grafa-se: baiuca, Bocaiuva, feiura etc.
Atenção!
O acento agudo é mantido nas oxítonas quando i e u são precedidos de vogal ou ditongo, mesmo se seguidos de s. Por exemplo: Baús, Itaú, Piauí etc.

Antes:
Eram acentuadas os plurais das formas verbais crê, dê, lê, vê (e derivados). Por exemplo: crêem, dêem, lêem, descrêem, desdêem, relêem, vêem etc.

Agora:
As forma verbais dos verbos crer, dar, ler, ver (e seus derivados) não mais necessitam de acentos. Portanto, grafa-se de maneira correta: creem, deem, leem, descreem, desdeem, releem, veem etc.

Antes:
Os hiatos ôo, constituídos, na sua maior parte, de formas dos verbos terminados em ear (abençoar, magoar, voar etc.) recebiam acento. Por exemplo: abençôo, magôo, vôo etc.

Agora:
Os hiatos em oo não mais necessitam de acento. Portanto, grafa-se corretamente: abençoo, magoo, voo etc.

Antes:
Recebiam acento as formas verbais oxítonas, tais como gúe, gúem, qúe etc. Por exemplo: apazigúe (de apaziguar), argúi (de argüir), obliqúe (de obliquar) etc.

Agora:
Cai no acento nessas formas verbais, estando corretas as seguintes grafias: apazigue, argui, obliqúe etc.

Antes:
Algumas palavras recebiam acento excepcional, para que fossem diferenciadas, na escrita, de suas homônimas, tais como: por (verbo) e pôr (preposição), pára (forma do verbo parar) e para (preposição), côas, côa (formas do presente do indicativo do verbo coar) e côas, côa (preposição com + artigo a e as).

Agora:
Cai o acento diferencial de tais palavras: por, para, coas, coa etc. (todas sem o acento, seja qual for o caso).

Atenção!
Permanece acentuada a 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo do verbo poder, para diferenciá-lo da 3ª pessoa do singular do presente do indicativo. Exemplo: Antes ele não pôde provar nada, mas agora ele pode provar tudo.

--

HÍFEN
Com a aprovação do Novo Acordo Ortográfico, passa a valer as seguintes regras para o uso do hífen, entre outras:

1. Emprega-se o hífen antes de palavras iniciadas por h. Por exemplo: anti-herói, mini-hotel, super-homem, sub-humano etc.

2. Dispensa-se o hífen quando o segundo elemento inicia-se com r ou s, duplicando-se as consoantes. Por exemplo: antirreligioso, antissemita, contrarregra etc.

3. Permanece o uso do hífen quando os prefixos finalizam com r: hiper-requintado, inter-resistente, super-rico etc.

4. Não se emprega mais o hífen quando o prefixo termina em vogal, e o segundo elemento inicia-se com vogal distinta. Por exemplo: extraescolar, autoestrada, autoaprendizagem, antiaéreo, hidroelétrica etc.

5. Emprega-se o hífen quando o prefixo termina em vogal igual à que se inicia o segundo elemento. Por exemplo: contra-almirante, supra-auricular, auto-observação, micro-onda etc.

É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso tenha alguma pergunta relacionada à Gramática, faça uso desse espaço...